Como ser um bom Ukê

A grosso modo, Tori é aquele que aplica uma técnica e Ukê é aquele que a recebe. Digo “a grosso modo”, porque a simplicidade do termo não corresponde à complexidade da tarefa, pois passa a impressão de que o Ukê simplesmente empresta seu corpo para o atacante, sem que pra isso seja necessário também preparo e técnica.

Se olharmos apenas por esse ângulo, haverá uma tendência de sempre valorizarmos mais o trabalho do Tori, e em consequência disso, nos aplicarmos apenas aos estudos como Tori, esquecendo-se que para que uma técnica seja esteticamente perfeita, precisa da perfeição também na execução da queda.

katagurumaGosto de dizer que o Ukê é aquele que cria as condições para o aprendizado do Tori. Ou seja, também é uma parte ativa no processo. Um exemplo prático se tem na execução de um Kata Guruma. A perfeição estética do golpe só se alcança quando o Ukê trabalha sua firmeza sobre os ombros do Tori, ficando pranchado como se numa reação para não cair. Caso o Ukê fique com corpo mole – o famoso saco de batatas – a técnica sempre parecerá ruim, não importa quão bom seja quem joga.

A realidade é que, cedo ou tarde você precisa desenvolver e aprimorar suas habilidades em quedas. Seja para fazer um Katá, seja para ir adiante com golpes mais difíceis… E o primeiro passo é tomar a consciência de que o Ukê é parte tão ativa quanto o Tori em cada técnica.

Baseado não só em minha experiência pessoal, mas também na observação de vários excelentes atletas, separei algumas dicas para os leitores que se interessam em aprimorar suas quedas.

Não pule

Um erro bem comum principalmente entre iniciantes do judô é considerar que um bom Ukê, é uma pessoa que torna as coisas mais fáceis pro Tori simplesmente se jogando ao menor sinal de puxada. Nenhuma técnica de projeção necessita que o Ukê pule, se jogue. Quando o kuzushi está bem aplicado o Ukê só precisa deixar-se conduzir e fazer o giro. Golpes como Sumi Otoshi, Uchimata Sukashi, Hiza Guruma costumam causar este tipo de confusão. Sempre que você estiver precisando se jogar para concluir uma projeção, peça para que o Tori corrija intensidade, postura, puxada, pois com certeza algo está errado.

Treine posições e rolamentos, todos os dias

A principal posição para treinar é a do Zempo Kaiten Ukemi. Um treino eficiente é deitar-se lateralmente nesta e efetuar batidas de mão ou o conjunto de mão e pernas, alternando-se entre direita e esquerda. Este exercício trabalha a memória motora e ajuda a tornar a posição da queda automática.

O treino de rolamentos deve ser feito com calma. Sem afobamentos. É preciso fazer um rolamento polido, com direção definida. O rolamento deve sair em linha reta e ao final, você deve estar de pé com corpo ereto e pés alinhados na posição de shizen hon tai. Você também pode fazer o rolamento e permanecer deitado para treinar a memória motora.

Entenda as reações para cada técnica

No exato momento em que uma técnica é encaixada, logo antes da projeção propriamente dita, há uma pequena reação do Ukê. Por exemplo, quando na execução de um Seoi Nage, no momento em que o Tori encaixa o quadril baixo, a reação do Ukê deve ser de manter-se ereto, enrijecendo o abdômen enquanto leva a mão na cintura do Tori para apoiar. Isso tudo numa fração de segundo, e então vem a queda. Assim que o Ukê toca o chão é que ele relaxa para absorver o impacto. Com exceção de alguns golpes de Ashi Waza, toda técnica tem suas particularidades nesse sentido, mas em quase todas corresponde a uma certa firmeza, como se fosse uma pequena resistência do Ukê imediatamente antes do golpe. Isso com certeza daria um tópico sozinho, o que não cabe aqui agora.. Então peça ajuda para seu sensei sobre as melhores posturas e reações para o ukê em cada técnica.

Entenda as direções das técnicas

Saber onde e como você será projetado também é de suma importância para que consiga executar uma boa queda. Ao sofrer uma projeção de Uki Waza por exemplo, devo saber previamente que o sentido será diagonal e o rolamento será um zempo kaiten ukemi. Diferente de um Tomoe Nage, onde deverei fazer o rolamento sobre a cabeça do Tori, em uma linha reta. Pode parecer bobeira, mas quando se busca realmente a excelência, detalhes assim com certeza farão toda a diferença.

Veja e imite bons Ukês

Inspire-se em bons atletas dentro e fora de sua academia. Peça ajuda para aquele seu amigo mais experiente e além disso estude as posições e técnicas vendo os bons atletas de fora. Hoje no Brasil posso falar de dois caras que dominam com maestria a arte das quedas pois já os vi competindo pessoalmente várias vezes: Paulo Roberto e Eduardo Maestá. Ambos são ukês e fazem parte da seleção brasileira de Katá. Se você mora e compete em SP não é difícil encontrá-los em cursos da Federação. Se não mora em SP também não é problema, clique aqui e veja um vídeo do Mundial de Katá 2015. Fique de olho nas polidez das técnicas.

Bônus – Use roupas de baixo adequadas

Cá entre nós, se tem uma coisa que impede que o aprendizado dos ukemis seja um pouquinho mais rápido… é que, cair as vezes dói pra caramba. Se estiver frio então.. Nem me fale. Porém, uma forma de atenuar é usar roupas de baixo adequadas (estou falando sério).  Para os homens, um bom short térmico e para as mulheres um top apertado com certeza servirão para amenizar um pouco as dores mais incômodas. Também existem shorts e calças de goleiro que tem as laterais acolchoadas… vale usar em kangueikos ou para aqueles treinos extensos de preparação para exames 😉

De toda forma, a dor será sempre sua companheira nessa empreitada. Acostume-se com ela e treine com afinco usando as dicas acima para aperfeiçoar suas quedas e consequentemente, aperfeiçoar seu judô.

Obrigado pela visita e volte sempre! Aproveite e comente, siga o blog e curta O Judoca nas redes sociais! 😀

Comentários

8 thoughts on “Como ser um bom Ukê

  1. Excelente como sempre!!!
    Meu sensei me diz que o uke é responsável por 50% da nota do exame de shodan! Como tu disseste, ser uke não é somente ficar parado para o tori aplicar a técnica, é necessário “saber ser golpeado”.

    Meus parabéns pelo blog, está sensacional!

    1. Pedro, sim, buscar o aperfeiçoamento da técnica de quedas consequentemente melhora nossa performance nos ataques também!
      Obrigado pelo e pelo elogio! Só motiva a melhorar!
      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *