De que forma o judô tem beneficiado sua vida? 

Você já parou pra refletir sobre todos os benefícios que o judô trouxe para sua vida direta ou indiretamente?

Antes de começar devo pedir desculpas aos leitores pelos praticamente 15 dias sem postar no blog. O real motivo de não ter postado vocês saberão nesse artigo mesmo.

Voltando ao assunto, a maioria das pessoas começa a praticar uma arte marcial simplesmente pra fazer alguma atividade física. Sair do sedentarismo. Foi assim comigo.

“Vai lá moleque, vai fazer esse tal judô pra ver se você sai um pouco desse videogame.”
 – Minha mãe.

Muita gente pensa na defesa pessoal, pensa em emagrecer, pensa em por o filho porque ouviu falar que tem disciplina… Mas pouca gente sequer imagina que praticar uma arte marcial como o judô pode mudar os rumos da sua vida completamente e definitivamente.

Pouca gente imagina isso porque até um primeiro contato é difícil para nós entendermos como os orientais, principalmente os japoneses, conseguem incutir uma filosofia de vida em um esporte. Nós brasileiros somos tão alheios a isto que normalmente confundimos esta abordagem como sendo algo religioso, o que não é. Costumamos pensar que viver a filosofia de vida de um esporte é uma afronta ao cristianismo, quando na verdade é complementar a ele, pois os valores prezados no judô e nas artes japonesas (humildade, amizade, respeito, honestidade, etc.) são os mesmos prezados na religião cristã.

Destes valores, a amizade pra mim é o que faz toda a diferença em dizer que o judô não é meramente um esporte. Aquele ambiente de camaradagem que você vê na turma, certamente garante que as pessoas não estão ali só pra emagrecer e cair fora. É muito mais do que isso.

Com as turmas de judô que trabalho hoje, sempre procuramos estimular esta camaradagem entre os alunos, dentro e fora do tatame. Para os que já têm idade, incentivamos que visitem uns aos outros, que joguem bola juntos, que se divirtam fora dos treinos. Os pais destes alunos acabam se conhecendo também e assim o círculo e o vínculo aumentam. Recomendo que outros senseis também façam isso. Se você é professor, experimente fazer treinos com dinâmicas para fortalecer o trabalho em grupo, estimule o espírito de equipe ao levá-los pra uma competição e organize um passeio uma vez por ano em algum lugar legal se for possível. Com o tempo verá que fica até mais fácil dar aula, e esse ambiente de amizade favorece muito para que os novos alunos também se sintam acolhidos. Jamais estimule rixas entre seus alunos, mesmo que momentaneamente em randoris, este sentimento não soma nada à questão proposta.

E por falar em amizade, posso dizer que de dez grandes amigos que tenho, pelo menos cinco deles treinaram judô comigo por um bom tempo. Mas aqui deixe-me definir “amigo” e “grande amigo”. Amigo é aquele que vai na sua casa e pede licença pra entrar, fica na sala com você conversando enquanto toma algo que você educadamente ofereceu e depois de uma hora no máximo, vai embora. Já o grande amigo é aquele que entra na sua casa pela cozinha mesmo, abre a geladeira pra pegar o que quiser e as vezes você tem que mandar ele ir embora, senão, dorme lá 😀

Quando os conheci, o que me animava pra treinar não era o treino em si. Quase sempre era a turma reunida antes das aulas ou depois delas, conversando sobre várias coisas. O mesmo acontecia depois das competições, quando íamos na casa de um ou outro pra falarmos sobre os golpes que fizemos ou deixamos de fazer, tirar sarro das derrotas uns dos outros e por fim ver as fotos tiradas no dia. E pra falar a verdade, essas resenhas pós-treino e reuniões nas casas dos amigos acontecem com a gente por aqui até hoje!

Considero estes meus grandes amigos uma benção que Deus me deu através do judô. Mas não foram só amigos que consegui. Hoje levo judô como trabalho, e melhor de tudo, foi num tatame que conheci minha esposa, e além de tê-la como presente, tenho também agora a maior joia da minha vida: meu filho, que nasceu há alguns dias 😀

Daí então concluo minha justificativa de passar esses dias todos sem atualizar o blog. Ele está em casa há pouco tempo e conciliar o trabalho com algumas noites mal dormidas deu uma atrasada em uma série de projetos. Por fim, já estamos conseguindo por a rotina em ordem novamente e logo teremos mais novidades por aqui.

Termino então este post com basicamente a mesma pergunta que comecei:

De que forma o judô tem beneficiado sua vida? 

😉

Comentários

6 thoughts on “De que forma o judô tem beneficiado sua vida? 

  1. Bom, ja vou começar com o que foi mais importante e que eu sofria diariamente, por incrível que pareça, acabou com minhas dores na lombar muscular, por mais que eu tenha feito fisioterapia, medicamentos, nada resolvia, entao depois de 6 meses percebi a diminuir as dores, acho inacreditavel porque o judô, levamos muitas quedas e contusões, mas foi essencial para minha vida física e mental, sou um cara quer por qualquer situação de adrenalina, fico nervoso, quando estou lutando, me sinto calmo e focado.
    Obrigado.

    1. Que legal Bruno! Mas é realmente intrigante, pois geralmente quem tem dores na lombar piora com exercícios.
      Continue no caminho e com certeza você desfrutará de muito mais benefícios em diversas outras áreas!

  2. Caro Luis Davi….bacanissimo seu blg! Certamente muitos judokas irão aprender muito sobre o judô que muitos senseis deixam de ensinar no dojo. Minha vida se resumiu até os dias de hoje com o judô. Iniciei meus treinos com 9 anos e hoje vivo do judô. Alem de ter sido uma referencia na minha formação humana e social, meu amigos são na sua maioria do judô. Pais preocupados com a formação dos filhos me procuram constantemente e vejo o quanto posso e devo contribuir para que o judô seja essa ferramenta educativa preconizada por Kano sensei. Me sinto honrado e ao mesmo tempo preocupaco em transmitir o judô verdadeiramente como deve ser e não como eu acho que deve ser, assim como muitos fazem. Posso dizer que minha vida é o judô. Um abraço!

    1. Fabio Lopes, muito obrigado pelo seu comentário. Comecei a treinar mais tarde, mas meu sentimento sobre o judô é praticamente o mesmo!
      Fique por perto! Abraços.

  3. Caro Sensei Luis Davi, não atentei para a data desse texto, contudo,filhos são sempre bençãos de Deus em nossas vidas !!! De antemão, parabéns pelo filhão e obrigado sempre pelos textos elucidativos referentes ao Judo !!! Saudações esportivas !!! Oss!!!

    1. Silvio Mello, o texto é recente.. o menino ainda tem 20 dias de vida. É agora tudo de mais importante na minha vida!
      Muito obrigado pelo seu comentário! Fique por perto! Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *