Shiro Saigo, a lenda do Yama Arashi

Um dos quatro cavaleiros celestiais do Kodokan e também um dos primeiros alunos de Jigoro Kano, Shiro Saigo foi um ícone e uma peça chave na história do judô.

Nascido em 4 de fevereiro de 1866 na cidade de Aizuwakamatsu, província de Fukushima, Japão; Saigo, terceiro filho de um samurai, Shida Sadajiro, começou cedo o treinamento em artes marciais, mais especificamente no Daito-Ryu Aikijujutsu. Em 1882, ainda aos 16, mudou-se para Tokyo e iniciou o treinamento no Kodokan como um dos primeiros alunos de Jigoro Kano. Em 1883, com o crescimento no número de alunos, Kano percebeu a necessidade de dividi-los em um grupo de iniciantes e um grupo de graduados. Por isso, Saigo foi promovido, juntamente com Tsunejiro Tomita, a Shodan, grau este que, alguns anos mais tarde se tornaria o primeiro nível da faixa preta. Vale ressaltar que, oficialmente Saigo e Tsunejiro foram os primeiros faixa-preta da história, tendo em conta que foi o próprio Kano quem desenvolveu o sistema de graduações por faixas adotado até hoje em tantas artes marciais.

Seu feito mais notável, com certeza foi a participação no torneio realizado pela polícia de Tóquio, em 1886*, que tinha em foco uma disputa de judô vs jujutsu a fim de determinar qual arte era mais eficiente em um combate real. De um lado havia a equipe do mestre Hikosuke Totsuka, considerado o melhor mestre de jujutsu da época, e do outro, a equipe do Kodokan, que chamava atenção por ser composta por muitos mestres de jujutsu que aderiram aos ideais de Kano, e estavam ali para provar a eficiência superior do judô. Entre eles, quatro eram destaques nos combates: Tsunejiro Tomita, Sakujiro Yokoyama, Yoshikazu Yamashita e Shiro Saigo.

Das quinze lutas, o Kodokan venceu treze e empatou duas. Saigo fez a última luta contra Taro Terushima**, do Totsuka-ha Yoshin Ryu, num duro confronto de quinze minutos. Nos dez primeiros minutos, nas palavras do próprio Jigoro Kano, Saigo sofreu incansáveis ataques que o obrigavam a se esquivar de todas formas possíveis. Pessoas que viam a luta comentavam como ele conseguia sofrer tantos ataques e cair de pé como um gato. A partir dos dez minutos, Saigo conseguiu contra atacar, mas só por volta do décimo quinto minuto de luta ele finalmente aplicou com perfeição sua técnica preferida, seu lendário Yama Arashi, que derrubou Terushima com tal força que este não se levantou. O bom resultado do Kodokan neste torneio fez com que o até então desconhecido judô de Kano fosse aceito pelo povo e oficialmente pelo governo.

*  e **: Tanto a data do torneio da polícia de Tóquio quanto a pessoa com quem Saigo lutou geralmente são motivos de discordância cada vez que esta história é contada. Historiadores afirmam que na verdade é muito provável que tenha havido mais de um torneio sediado pela polícia de Tóquio envolvendo judô vs jujutsu.

A Tempestade na Montanha

Até hoje não há muito consenso sobre como exatamente era executado o Yama Arashi (tempestade na montanha) de Shiro Saigo. Sabe-se que ele gostava de aplicar pela esquerda, cruzando uma pegada com o dedão por dentro da gola. Abaixo um exemplo:

Eis a mesma técnica executada pelo sensei Kyuzo Mifune. Nota-se a ênfase no trabalho de mão e braço, quase sem uso da perna diferentemente do vídeo anterior. Até porque, o Yama Arashi está classificado como Te-Waza.

Há inúmeras variações do Yama Arashi em diferentes estilos de jujutsu. Um exemplo é que a mesma pode ser encontrada como Yama Otoshi no estilo Sekiguchi-ryu. Shiro Saigo estudou e desenvolveu por si próprio esta técnica para usar na prática do judô e se tornou tão famoso por conseguir utilizá-la com maestria em suas lutas.

Hoje em dia o Yama Arashi não é muito praticado, talvez porque de acordo com a regra vigente, a forma com a pegada cruzada seja punível com shidô caso o golpe não seja aplicado de imediato. Mas, não há nada que impeça de que seja treinado na academia e até melhorado para aplicação em shiais. Não tem muito tempo que treinamos aqui na nossa academia… fizemos um treino quase inteiro sobre esta técnica e sua história. Foi bem legal. 🙂

A história em livro e em filme

sugata_sanshiro

O filho de Tsunejiro Tomita, que era também judoca, Tsuneo Tomita, baseando-se na história de Shiro Saigo, escreveu um livro onde relata a vida de Sanshiro, um forte jovem que sai do campo para aprender jujutsu. Em 1943, o diretor Akira Kurosawa conseguiu a produção do filme Sugata Sanshiro (no Brasil, “A Saga do Judô”) baseado no romance de Tomita. O filme fez bastante sucesso em sua época e já foi refilmado pelo menos umas cinco vezes. O livro é uma raridade sem tamanho, mas o filme você consegue encontrar facilmente até no Youtube.

Desertando…

Há relatos de que ele foi expulso do Kodokan por envolver-se em uma briga de rua. Outra parte da história diz que ele voluntariamente deixou o instituto para se juntar a um grupo de guerrilheiros revolucionários. Entre uma ou outra, é certo que em dado momento por volta de 1890 ele seguiu seu caminho longe do Kodokan e só em 1919 a convite de Jigoro Kano, foi visitá-lo e rever velhos amigos.

Em dezembro de 1922 Saigo faleceu, aos 56 anos e o próprio Jigoro Kano promoveu-o postumamente a 6º Dan.

Do alto de seus 1,53m, Shiro Saigo estava sempre pronto para defender o Kodokan de qualquer um que desafiasse os novos métodos de Kano sensei. Sua técnica refinada e sua garra na hora das lutas fizeram com que seu nome se perpetuasse como um dos importantes pilares do judô.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *