Tsurikomi: porque ele é tão importante para aprimorar sua técnica no judô?

Você sabe o que harai goshi, uchi mata, hane goshi, sasae tsurikomi ashi, tai otoshi e mais uma leva de técnicas de judô têm em comum?

Todas elas possuem essencialmente o mesmo trabalho de mãos para realização do kuzushi. Este trabalho é denominado tsurikomi e dominá-lo é fundamental para uma boa execução das mesmas. O que vamos fazer neste artigo é estudá-lo de uma forma que seja fácil de entender e de praticar na academia. Acredito que quando o esforço e a repetição se unem ao estudo, conseguimos chegar mais próximos da excelência.

Vamos lá!

Tsurikomi no sentido em que é usado aqui, significa “suspender”, “levantar”. Ao subdividirmos a técnica, teremos, na mão da manga o hikitê e na mão da gola o tsuritê. Cada um tem sua forma de ação e para cada técnica os giros de punhos podem ser ligeiramente diferentes. No hikitê, punho da manga, o tori levanta o braço do ukê até a altura do rosto em um movimento circular. Assim:

via GIPHY

No tsuritê, punho da gola, a força da pegada concentra-se nos dedos mínimo a médio, com o indicador e o polegar trabalhando mais na parte final da execução. Repare também que no final do movimento, o cotovelo e antebraço se encaixam na lateral do corpo do ukê.

via GIPHY

É importante ressaltar que, dependendo da técnica, um movimento preliminar de quadril ajuda a transferir a energia de baixo para cima, fazendo com que a “suspensão” fique mais fácil. Veja no exemplo abaixo, como o tori usa o impulso do quadril em conjunto com as mãos para executar um tsurikomi perfeito.

via GIPHY

No boxe, o lutador não dá um soco apenas movimentando os braços. Ele precisa mover todo o corpo para gerar energia até sua mão e desferir o soco. Da mesma forma no judô, o corpo do tori trabalha para que a energia seja deslocada causando o desequilíbrio e queda do ukê.

Não se concentre apenas nas mãos. 😉

Como não fazer o tsurikomi

Falando em energia, é crucial que ela encontre o melhor caminho para se dissipar. Executar o tsurikomi adequadamente faz com que a energia flua entre você e seu ukê com o mínimo de resistência mecânica. Se o corpo do ukê não está suspenso como deveria, a energia não é dissipada da maneira adequada através de seus corpos e consequentemente, o golpe não sai ou sai mal feito… meio quadrado sabe?

Os erros mais comuns dos iniciantes ao praticarem técnicas que envolvem o tsurikomi são:

  • não posicionar corretamente o cotovelo e antebraço encaixado no ukê;
  • abrir o cotovelo do tsuritê para cima e empurrar o tronco do ukê para baixo;
  • manter o hikitê baixo, na altura da barriga, ao invés da altura do rosto.
tsurikomi_ruim
Um exemplo comum de má execução do tsurikomi.

 

#partiutreinartsurikomi

Como dito anteriormente, quase uma dezena de técnicas do gokyo no waza utilizam este trabalho de kuzushi. É óbvio que cada uma tem suas particularidades, mas essencialmente o trabalho muda pouco. Se você conseguir dominar isso, terá praticamente 50% de cada uma destas técnicas melhoradas.

A intenção deste artigo é despertar no judoca o interesse para os detalhes, para aquilo que muitas vezes passa despercebido. Focamos quase sempre em fazer um golpe mais forte, mais rápido e mais competitivo, mas nem sempre ele sai limpo e suave, bonito.. aí batemos cabeça pra saber o que está errado. É preciso parar e ir de volta ao básico, ao treino lento e compassado, para buscar esses detalhes.

Treinando corretamente e com o auxílio do olho clínico de seu sensei, com certeza sua técnica subirá de nível ao melhorar seu tsurikomi!

__

Este artigo lhe foi útil? Se sim, deixe seu e-mail para ser avisado quando sair post novo e siga também no Facebook e Twitter! 😀

Comentários

4 thoughts on “Tsurikomi: porque ele é tão importante para aprimorar sua técnica no judô?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *